12
Oct
2016
5

Onde aprender o espanhol mais correto? Posso aprender espanhol no Chile?

Como professora que sou desde que me entendo por gente, como dizemos no Brasil, me chamam a atenção muitas discussões presentes nas redes sociais sobre o aprendizado de idiomas, e uma das mais frequentes é sobre ONDE aprender o “melhor” espanhol ou inglês.

Em que país se aprende o espanhol mais correto?” O inglês mais correto? “Ah! Claro que o espanhol da Colômbia é o melhor”. “O Inglês da Inglaterra é mais limpo” Na minha cabeça, algo é correto ou não é correto, não pode ser mais ou menos. Melhor? Pior? O que é melhor para mim pode não ser melhor para você. Mas essa qualificação pode ser aplicada a uma língua? Com tantos anos de experiência na área, nunca estudei em nenhum livro nada a respeito de melhor ou pior espanhol, inglês, português, seja lá qual for o idioma.  E sabe por quê? Porque não existe essa definição.

Vamos inverter as posições para que a gente possa ser mais empático e refletir. Se um chileno, por exemplo, te perguntasse qual é a cidade, estado ou região brasileira onde se aprende o português mais correto, o que você responderia? Estranho, né? Sim, essa pergunta é possível, já que o Brasil é composto de 5 regiões com culturas distintas, vocabulário super variado e sotaques muuuuuuuito diferentes. Quem nunca conversou com alguém de uma outra região e ficou “boiando” com algumas palavras? (você sabe o que é “boiar”? Rsrsrs). É mais correto dizer guri, garoto ou menino? É mais correto dizer semáforo, sinal ou sinaleira? É mais correto dizer pão francês, pão Jacó ou média? Existe o correto nesses casos?

O mesmo ocorre se tratamos da estrutura da língua. Existe a base, a norma culta do idioma, que se aprende em livros de gramática e dicionários (explicando para vocês de uma forma simples para que todos entendam). Existe também a linguagem popular, aquela que se escuta nas ruas, e que se incorpora fortemente no nosso dia a dia. Para exemplificar, vamos pensar em alguns pronomes de tratamento. Em Santos, onde nasci, se usa muito o pronome “tu”, mas conjugado como “você”. Exemplo: “Onde tu mora? ” Está gramaticalmente correto? Não. Se você é de outra cidade e fala diferente, ou de outro país e está aprendendo português, precisa falar igual? Não. Continue falando do jeito que você sempre falou ou como aprendeu, mas aceite o fato de que lá falam assim.  Em Belém se usa “tu” conjugado bonitinho como mandava a gramática nos tempos que tínhamos que decorar os pronomes eu, tu, ele, nós, vós e eles…só os velhos entenderão! Kkkkk (Se me cayó el carnet). Eles dizem “Onde tu moras? ”

Tudo é uma questão de adaptação à linguagem e cultura locais. Se você está em um lugar onde o pão é chamado de média (Santos, a propósito), é claro que você terá que pedir dessa forma. Se você na semana seguinte estará em Aracaju, onde já morei, terá que dizer pão Jacó. Temos que estar com a mente aberta ao fato de que somos nós que temos que aceitar as diferenças linguísticas e culturais, não é o santista, o aracajuano ou o carioca que fala mais ou menos corretamente.

abc-916665_960_720

Onde eu quero chegar com esse blá blá blá (ou mimimi pra alguns kkkkk) ?

Fazendo um paralelo com o espanhol, é a mesma coisa. Se você está na Colômbia, vai acabar incorporando e usando vocabulário e gírias que são usados lá. Vai usar muito mais “usted” que “tu”. Se você está na Argentina vai usar o “vos”. Se está no Chile, não vai usar nenhum deles, somente “weón”…kkkkkk…Bromita!!!! O que quero dizer é que a base da língua será igual, não importa o país que esteja. Cabe a você usar ou não certas gírias, mas terá, sim, que usar o vocabulário especifico do lugar para que você seja entendido.

Outra coisa é você ter preferência, uma certa quedinha por este ou aquele sotaque,por esta ou aquela cultura. Sem problemas! Sou professora e tenho meus gostos também. Confesso sempre, em alto e bom tom, que adooooooooro (falando de Brasil) os sotaques paulista, baiano e mineiro. Quanto ao espanhol, sou fã do sotaque argentino, mas estou no Chile, uai  (mineirin 😛 )! Essas preferencias não me dão o direito de bancar a sabichona e dizer que o país X fala corretamente, e o Y não. Conheço de cor e salteado dezenas de palavras e modismos porque convivo com chilenos, faço uso de alguns (modismos, não dos chilenos…rs…), e de outros, não.

O que sinto, na verdade, é muito egocentrismo e narcisismo em muitas pessoas, ao acharem que certo é aquilo que lhes serve e que elas gostam. Vejo sentimentos sendo misturados com fatos no momento que um estrangeiro ataca a lingua (forma de se expressar, sotaque, modismos, etc) de um povo quando, no fundo, ela nao gosta é do lugar ou do povo. Sou amante e estudiosa dos idiomas, mas confesso que eu também quase cai nessa trampa quando ainda estava naquela maldita fase de adaptação a tudo no país e me peguei ( e me envergonho hoje em dia) falando mal do “espanhol chileno”. Não sou a dona da verdade (nem você que discorda de tudo que eu disse kkkkkk), mas acho que a minha profissão e longa experiência me dão uma certa liberdade pra ajudar os que têm dúvidas e abrir um pouco os olhos (ouvidos, coração) daqueles que incrustaram em suas mentes essa ideia de que o espanhol daqui ou de acolá, o inglês da Rainha ou do Tio Sam é o melhor/mais correto.

 

“A vida não me chegava pelos jornais nem pelos livros. Vinha da boca do povo na língua errada do povo. Língua certa do povo” 

Manuel Bandera

Então, minha gente, quem realmente quer aprender um idioma aprende em qualquer país. Me carga quando vejo alguém aconselhando outra pessoa a não vir ao Chile porque aqui não vai aprender nada de espanhol. Aí eu pergunto a esse mesmo alguém: por que você está aqui e como está se comunicando? Em japonês? Se continua aqui é porque consegue entender os chilenos e porque aprendeu, pelo menos, alguma coisa aqui. Prefere continuar se comunicando em português ou “portunhol”? É uma opção sua, sem problemas. Tem dificuldades de aprender espanhol aqui? Busque caminhos que te ajudem.

Além da aceitação das características da língua de cada lugar, lembre-se que mudar de país e esperar que o idioma entre na sua cabeça e saia por sua boca sem o mínimo esforço é um pouco de pretensão (bem típica do brasileiro, diga-se de passagem). Faça sua parte. Se não pode pagar por um estudo formal, seja ele em um instituto ou aulas particulares, viva o idioma em seu dia a dia de forma autentica e intensa. Assista aos canais do país, leia, interaja com o povo local. Se arrisque!!! (outro post logo mais com dicas bem práticas).O que não dá é pra passar o dia dizendo, ou escutando dos outros, que o espanhol do Chile não é espanhol, né!

Minha dica sobre em qual país estudar espanhol: escolha o país que melhor se adeque a todas as suas necessidades. Quer estudar e passear? Escolha um país que tenha os atrativos que você procura; neve, praia, montanha, calor, frio, etc. Quer trabalhar? Escolha um país que te ofereça oportunidades para seu perfil profissional , cuja cultura possa te agradar, afinal, você vai morar lá.  Garanto que, com mente e coração abertos e dedicação da sua parte, você vai aprender espanhol em qualquer lugar do planeta. JUÉGATELA ! (SE JOGA). E seja feliz!

Quer vir pro Chile?  #sejoganochile  😉

Se as minhas palavras te ajudaram a perceber que você pode aprender espanhol no Chile, clique aqui para saber onde estudar.

Perceberam que usei algumas coisinhas em espanhol no texto? Vamos aproveitar para aprender um pouquinho.

1. SE ME CAYÓ EL CARNET

cayó: passado do verbo caer na terceira pessoa do singular.
carnet : cédula de identidade
Expressão que usamos depois que dizemos algo que revela que temos uma certa idade, somos mais velhos. Se deixamos cair nossa cédula de identidade, quem estiver perto poderá ver nossa data de nascimento. Cuidado! kkkk

2. BROMITA = diminutivo de broma. Broma = burla, dicho o hecho que se hace a alguien sin la intención de molestarlo
No contexto seria o mesmo quebrincadeirinha”.
Siempre me hacen bromas por mi acento brasileño.

3. TRAMPA = plan concebido para engañar a alguien = armadilha
Cuando le creemos a un político corrupto caemos en su trampa.

4. ME CARGA: me molesta mucho = me incomoda muito
Me cargan las mentiras.
Me carga levantarme temprano los fines de semana.
Me carga cuando dicen que no se puede aprender español en Chile.
Notem que o verbo pode ser carga ou cargan, de acordo com o substantivo que o segue (singular ou plural).

También te puede interesar

Vocabulário para alugar apartamento no Chile
ESPAÑOL CHILENO: exercício sobre palavras chilenas-comida e bebida
ESPAÑOL: Presente Simple vs Pretérito Perfecto vs Pretérito Imperfecto
PALAVRAS CHILENAS : comida e bebida (4) – Chile